Relicário

 Eu queria ser um relicário das lembranças do passageiro de trem que olha pela janela à espera do chá enquanto vai deixando vida para trás. Eu queria ser um pequeno relicário das memórias da criança que cresceu e precisou partir, desfazer das bonecas, dos laços de fitas coloridas nos cabelos. Eu, relicário das histórias daquela senhora à espera de quem sabe o ontem- sua própria relíquia, meio perdido no agora do tempo. Eu queria ser, mais do que um relicário, um canário belga dentro de cada um desses corações. Canções apenas.

Anúncios

3 comentários

  1. “Eu queria ser um pequeno relicário das memórias da criança que cresceu e precisou partir…”; “Eu queria ser, mais do que um relicário, um canário belga dentro de cada um desses corações. Canções apenas.” Eu queria ser poeta, das palavras e das canções. Sou apenas um peixe fora d´água. E desafino as canções. que belo e sensível poema. muito obrigado por esta relicário vivo da tua palavra. o meu abraço carinhoso.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.