Relicário

 Eu queria ser um relicário das lembranças do passageiro de trem que olha pela janela à espera do chá enquanto vai deixando vida para trás. Eu queria ser um pequeno relicário das memórias da criança que cresceu e precisou partir, desfazer das bonecas, dos laços de fitas coloridas nos cabelos. Eu, relicário das histórias daquela senhora à espera de quem sabe o ontem- sua própria relíquia, meio perdido no agora do tempo. Eu queria ser, mais do que um relicário, um canário belga dentro de cada um desses corações. Canções apenas.

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.