um pouco de muita Sorte

Desejo musicalidade entoando
dentro do peito
Um jeito quase épico de desvendar
a Vida
Suave despedida quando estiver
de partida
Desejo brevidade
Nas palavras
Profundidade
No silêncio
E todo o encanto que lhe couber
dentro do olhar
Desejo que veja
além das aparências
E em reticências se deixe estar
vez em quando…
Desejo sentido aguçado
para os cantos dos pássaros
após a chuva
E dias ensolarados
Voo alto, longe,
quando tudo parecer nublado
e distante
do que já foi antes
Desejo clareza nas situações
quando o chão se perder e
faltar pés para seguir
Desejo que siga além de apenas ir
Mas também pause
Para respirar
Para se amar
com todas as suas dissonâncias e contradições
Desejo bons ventos e rotas de fuga
lúcidas
Encontros mais que desencontros
Acasos menos rasos
E sorte
Um pouco de muita Sorte
Sempre